Filme: O leitor

Resultado de imagem para o leitor critica

Hello!!!

A dica de filme de hoje vai especialmente para você que gosta de uma bela história de amor com ingredientes difíceis de serem ingeridos sem efeitos colaterais. O Leitor tem um enredo consistente, prende a atenção e emociona a todos! Se por acaso você ainda não estiver convencido de que este filme vale a pena: ele teve cinco (CINCO) indicações ao Oscar!

É um filme que nos faz refletir e viver o personagem naquele momento. Será que nos responsabilizados pelo que cativamos?

Hanna é uma trabalhadora comum que, por acaso, conhece o adolescente Michael. Apesar da diferença de idade e de classe social, os dois passam a se encontrar. Através de sorrisos com o olhar ou de lascivas cenas de sexo, é possível reconhecer nela os traços de felicidade e realização de uma criança, típicos dos apaixonados, como o próprio jovem Michael.O roteiro é repleto de visitas ao passado e retorno ao presente, é importante ficar atento para que o entendimento seja pleno.

O filme é narrado em 1950, Michael Berg, o leitor relembrando talvez os momentos mais felizes de sua vida, pois no filme as cenas de sexos não representam apenas o ato em si, mas o descobrimento dos dois personagens, ele descobrindo o sexo, porque Hanna foi à primeira mulher que ele teve relação sexual, e ela, porém, descobrindo o mundo mágico que envolve o universo literário tão desconhecido por ela, e nesse prazer de ouvir as leituras feitas por ele, ela também atenta-se, o faz perceber que ele tem talento e sabe representar.

Pulamos 8 anos. Ele está agora na faculdade de direito, parte de uma aula bem restrita, com apenas 6 alunos. O professor (Ganz) os leva para um julgamento. Mulheres estão sendo julgadas por terem trabalhado em um campo de concentração. Entre elas, está Hanna.
Hanna confessa ter sido quem escreveu o relatório acerca do episódio em que 300 pessoas morreram em um incêndio. Tal declaração acarretou em sua pena máxima, a prisão perpétua. Só que ela só aprendeu a ler e escrever na prisão.
Michael sente vergonha da relação que teve com aquela mulher. Ele sabe um segredo sobre ela que pode livrá-la da condenação dela, mas ainda assim se cala. Talvez o sentimento de Michael, seja uma metáfora para o sentimento de todo o povo alemão. É mais fácil ignorar que aconteceu, do que realmente aceitar o fato. Que faz parte do seu passado.
É um filme emocionante!

Espero que tenham gostado da resenha e que eu não tenha dado muitos spoilers hahaha Ah, deixem sua indicação de filmes nos comentários!

 Beijos, beijos 

 

 

Anúncios

Filme: O príncipe do Natal

Achristmasprince-rosemciversource-1

Hello!!!

Não sei vocês, mas eu sou VICIADA em Netflix! ♥ E todos os meses a Netflix lança novos filmes, seriados e documentários, e, às vezes, fico sem saber o que assistir sendo que tem um lançamento super legal que não aparece na minha “home”. Então, vou trazer para vocês hoje um filme que foi lançamento na Netflix.

O ano voou e “já é natal” – também não creio nisso! hahaha O nome do filme é O Príncipe do Natal –  uma comédia romântica cheeeeeeia de clichês, de muito amor e looks fofíneos!

O lançamento foi adicionado à Netflix em 17/11/2017 – tem como diretor Alex Zamm – e o elenco conta com a participação dos atores Rose McIverBen LambAlice Krige, Honor Kneafsey – a duração é de 92 minutos.

Uma jovem jornalista sonha em ser reconhecida por seu trabalho. Contudo, ela não teve a oportunidade de publicar um “furo” de reportagem ainda. Dessa forma, ela sai em busca de matérias que podem deslanchar sua carreira profissional.

O Natal chegou mais cedo para esta jovem jornalista de Nova York que embarca numa aventura na Europa em busca de um furo de reportagem com a família real. Seu alvo: um príncipe bonitão prestes a assumir o trono.

Não é daqueles filmes que vão mudar sua vida. Mas se você procura algum filme mais leve para se distrair, o “O príncipe do Natal” é uma ótima indicação!

Espero que tenham gostado da resenha e que eu não tenha dado muitos spoilers hahaha Ah, deixem sua indicação de filmes nos comentários!

 Beijos, beijos 

 

Filme: Encalhados

maxresdefault

Hello, advogatas

Desde que terminei a faculdade, tenho colocado minha listinha de séries e filmes em dia hahaha então, fiquem a vontade para me indicar vários filmes! obs: meus preferidos são dramas e comédias românticas.

A dica de filme de hoje é bem fofinha, romântica e um pouco dramática também! Caso você goste desse gênero, vale super a pena assistir! Resumindo meeeeesmo: o filme conta a história de uma mulher de trinta anos, que é pressionada pela sociedade a amadurecer e a passar pelas mesmas fases da vida que seus amigos. Seu namorado propõe que eles se casem em Las Vegas, daí ela surta e acaba indo se esconder na casa de uma adolescente com quem fez amizade na noite anterior.

Durante os dias em que passa na casa da sua amiga adolescente, dias de completa fuga da realidade, Megan vai poder aprender mais sobre si mesma, seus objetivos e também sobre o amor. Annika, a amiga adolescente, passa por uma fase que ela lembra muito bem de como é complicada, ainda mais sem uma mãe por perto. Megan vai ajudá-la e se tornar uma verdadeira amiga, o que não ela não esperava é que sua própria vida pudesse mudar tanto em uma única semana.

O roteiro foi escrito pela estreante Andrea Seigel e é divertido, tem uns diálogos incomuns, mas não tenta fugir nem um pouco dos esquemas e clichês das comédias românticas que eu, particularmente, amo.

O filme retrata as decisões da vida que podem ser também um “de repente”… Como um despertar! Os padrões e hábitos podem nos roubar de nós mesmos! É bom escutar a intuição quando um insight chegar! Relações entre amigos, familiares e casais. Nós teremos a expectativa que tudo deve ser abordado com “aquela velha opinião formada sobre tudo”. O filme não te dá isso, ele só te dá uma abordagem superficial de assuntos picados, onde o autor não dá soluções para crises e nem diz se existe tais soluções, mas deixa a liberdade para você tirar suas próprias conclusões sobre crises, relacionamentos e escolhas. O que é certo? O que você quer? O que te faz feliz? Decida!

laggies-screenshot-1

Pois bem. É uma ótima comédia romântica que mostra como as vezes nos encontramos perdidos em nossas vidas. Fácil, divertida, levemente dramática e bem transmitida. Logo no começo e você se surpreende e o romance aparece!

Título original: “Laggies”.
Título em Portugal: “Encalhados”.
Realizadora: Lynn Shelton.
Argumento: Andrea Seigel.
Elenco: Keira Knightley, Chloë Moretz, Sam Rockwell, Kaitlyn Dever, Jeff Garlin, Ellie Kemper, Mark Webber.

Espero que tenham gostado da resenha e que eu não tenha dado muitos spoilers hahaha Ah, deixem sua indicação de filmes nos comentários!

 Beijos, beijos 

 

Documentário: Lady Gaga na Netflix

DH__N22XgAAJJdz

O documentário “Gaga: Five Foot Two”, dirigido por Chris Moukarbel, estreiou na Netflix no dia 22 de setembro. O documentário buscou mostrar o dia a dia da cantora Lady Gaga sem máscaras, sem glamour, direta e despida de qualquer tipo de pudor.

Eu confesso que não sou  fã da Lady Gaga. Na verdade, não sabia quase nada da vida dela. Eu tenho esse “defeito” de não ser muito apegada a cantores, artistas e tals. Já conhecia e gostava de várias músicas dela, mas nada além disso.

Resolvi assistir o documentário por indicação de uma amiga. Olha, me surpreendi, pois desmistificou, para mim,  a ideia de que a fama e o dinheiro são sempre bons.

Eu sei que parece clichê, mas ela é gente como a gente! Ela chora, é ansiosa, insegura, tem problemas de relacionamento e chora muito! Ela tem problemas de saúde, de família… sente dores, se emociona… É intenso.

Nunca me senti bonita ou inteligente o suficiente ou uma grande artista. Essa é a parte boa do agora. Eu não me sentia bem assim, mas agora sinto. De todas as coisas que eu mereço, essa é a melhor coisa, saber que eu valho alguma coisa e posso ficar tranquila.

A Lady Gaga é uma feminista, que preza pela união das mulheres e saber disso me fez gostar muito dela! Ela fala abertamente dos relacionamentos amorosos dela, das críticas que a Madona faz a ela e do que as pessoas esperam de uma mulher no mundo da música pop.

A trilha sonora é linda, estou impressionada com as letras desse novo disco!

A cena que eu mais gostei é a do Walmart em que a Gaga procura pelo seu novo disco “Joanne” nas prateleiras e não acha. Ela procura um vendedor, ele não a reconhece, diz que não sabe onde está o CD; ela manda chamar o gerente e ele também não a reconhece (é a Gaga versão limpinha, gente!). Não vou contar mais senão estraga, mas ela faz mais coisas engraçadíssimas lá dentro.

Para quem, assim como eu, ficou curioso com o nome do documentário, achei essa explicação aqui:  “Aliás, Gaga não explica em nenhum momento o motivo do filme se chamar “Five Foot Two” (além do fato de ser a altura dela, 1,57m, no sistema métrico americano), mas a intenção é clara se você conhece a música. Esse nome é de uma canção famosa dos anos 20, um jazz que aparece bem sutilmente no documentário quando ela vai no batizado da filha de um dos membros de sua banda de jazz. Na festa, perambulando entre as mesas de convidados, o amigo de Gaga toca essa música no palco. Quer saber como é a letra? Ela conta a história de um homem procurando a garota da vida dele e avisando todo mundo que se ela aparecer coberta de casacos de peles e jóias, certamente essas coisas não são dela, dando a entender que isso não faz ela ser o que ela realmente é.” PHELIPE CRUZ

Vocês já assistiram? Gostaram?