FILME: Eu não sou um homem fácil

Eu Não Sou Um Homem Fácil

Hello, advogaTas!

Não sei vocês, mas eu sou VICIADA em Netflix! ♥ E todos os meses a Netflix lança novos filmes, seriados e documentários, e, às vezes, fico sem saber o que assistir sendo que tem um lançamento super legal que não aparece na minha “home”. Então, vou trazer para vocês hoje um filme que foi lançamento na Netflix , que eu assisti e amei!

O filme que vamos tratar hoje se chama “Eu não sou um homem fácil”, o título original é: “Je ne suis pas un homme facile”, é um filme francês – com aquele humor francês típico! – e foi lançado no Netflix em 13 de abril de 2018.

Sinopse: O machista Damien (Vincent Elbaz) acorda em um mundo onde as mulheres e os homens têm seus papéis invertidos na sociedade, e tudo é dominado por mulheres. Ele entra em conflito com La Coach (Moon Dailly), uma poderosa escritora.

Embora pareça uma clássica comédia machista, a trama não demora para revelar seu verdadeiro objetivo. É exatamente o oposto do que pensávamos. O filme não apenas vai contra todos os princípios machistas, como também usa a comédia para distorcê-los. O filme não é para menosprezar os homens, mas para dizer que nem um homem nem uma mulher deve passar por discriminação.

Em algum momento você vai perceber que quando os papeis se invertem o feminismo não quer que as mulheres dominem, porque no momento que elas passam a dominar você sente dó do homem! As feministas não querem opressão, elas querem igualdade.

Justamente ao inverter esses papéis que o filme tem seu grande acerto. É ao cometer mais um desses atos de babaca ao assobiar para duas meninas com metade de sua idade que Damien sofre um acidente e bate a cabeça. Ele acorda, então, em outro universo. Um no qual – ele descobrirá depois de muitas situações que se alternam entre forçadas e perfeitamente pertinentes – quem manda na porra toda são as mulheres e onde ele descobre que ser alvo (ou objeto) de cantadas baratas é apenas a ponta do iceberg de merda que é (ou deve ser) ser mulher numa sociedade machista, misógina e objetificadora da figura feminina.

O Filme é genial! Seja você HOMEM OU MULHER, ASSISTA!

O final é pra mostrar que a intenção do filme o tempo todo é que em ambas as situações, o comportamento de um sexo dominante é ridículo. A ideia do filme é ridicularizar o comportamento do homem na sociedade atual, mas eles não querem que você entenda errado. Ele quer que você tenha empatia pelas pessoas independente do sexo delas, identificar que a melhor forma de mudar é respeitando e tendo igualdade na sociedade.

Ter empatia, ter respeito, se colocar no lugar do outro… por incrível que pareça, o filme retrata sobre isso! Aparentemente, o filme mostra algo ridículo – um homem em um universo paralelo dominado por mulheres –  mas aos poucos você vai entender que até nas mínimas coisa que no nosso cotidiano nós encaramos como algo normal, algo rotineiro e que deve ser executado por mulheres mostra apenas que nós não reparamos desempenhamos papeis fúteis, frágeis, ridículos e que, no final das contas,  a sociedade é machista. Independente de ser na França, no Brasil ou no lugar que você estiver, existe machismo!

Espero que tenham gostado da resenha e que eu não tenha dado muitos spoilers hahaha Ah, deixem sua indicação de filmes nos comentários!

 Beijos, beijos 

 

Anúncios