E então, escreva!

large

Ainda não aprendi a controlar todos os meus impulsos, mas tenho trabalhado bastante nisso. Sempre fui “dramática” demais, sabe? O que para uma pessoa comum seria apenas um “ele não retornou” para mim seria “ele me odeia!”. Antes eu me desesperava para tentar falar e mostrar exatamente tudo que eu estava sentindo. E no outro dia me arrependia completamente de ter sido tão boba e ter ido atrás.

Às vezes tenho dificuldades em colocar para fora tudo que me constrange e de assumir para mim mesma o que está acontecendo. Eu estava fazendo da maneira errada, queria falar, gritar e convencer as pessoas de algo que nem eu mesma entendia. Até que um dia eu decidi escrever os meus sentimentos.

No começo, era só por diversão. Aos poucos fui me sentindo mais aliviada, mais livre e muito melhor. E criei uma regra para mim: está triste? -vai lá e escreva! está com raiva? -vai lá e escreva! quer desabafar? -vai lá e escreva. Isso porque percebi que não é algo tão simples despejar um mundo de pensamentos em formas palavras em alguém e querer que faça sentido. Mas se eu escrever, refletir sobre o assunto, esperar que eu me acalme, tudo ficará mais fácil e o melhor.

Poucas coisas na vida são tão libertadoras quanto escrever. E então, escreva!

10 comentários sobre “E então, escreva!

  1. Eu identifico-me 200% nesse texto! Passei toda a minha adolescência assim, mesmo com amigos, pior com namoradas. Quando havia algum problema, alguma discussão eu falava sem parar, tentava argumentar, discutir, acabava sempre a fazer um monólogo cansativo e com zero resultados práticos. Na universidade, em exames orais, o mesmo problema, falava bem, porém quando mal preparado falava demais e acabava sempre mal.

    Sempre que escrevo acho que sou muito mais claro, sucinto e assertivo. Daí que todas a minhas namoradas receberam cartas minhas, pequenas mensagens escritas em papelinhos deixados na carteira, na almofada, junto com as moedinhas na carteira.

    Expresso o que sinto muito melhor por escrito, agora também quando falo, mas veio com a maturidade.

    Óptimo texto, parabéns!

    Curtir

  2. Está mais que certa Fi. Mas na verdade eu sempre fui o contrario. Sou muito controlada, desde sempre, nunca faço barraco, nunca discuto, nunca grito, e também nunca desabafo. Isso claramente é ruim pq guardo tudo para mim e depois fico pensando nas milhares de coisas que deveria ter gritado em determinada situação. Mas assim como você eu também recorro a escrita e talvez por isso eu pareça muito mais “barraqueira” nos textos do que realmente sou. Beijo

    Curtido por 1 pessoa

  3. Que texto maravilhoso! Me identifiquei super, sempre fui meio drámatica em relação a sentimentos. Sempre fingi que ia morrer por determinado coisa. E por um simples motivo, eu já ia correndo atras, mesmo que fosse algo tão besta. Sempre quis me justificar e desculpar da pior forma.

    v

    Curtir

Hello, gostou do post? Então deixe aqui seu comentário. Beijos

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s